VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

VIII Oito Anos de Os Deuses Mortos

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Faces da Morte

Entre o final da década de 1980 e início da década de 1990 era comum entrar na locadoras de vídeo, dirigir-se para a sessão de terror e encontrar fitas de VHS com uma caveira estilizada na capa intitulada Faces da Morte ostentando a frase "Proibido em 46 países".
Diferente de outros filmes Faces da Morte tinha como mérito mortes reais: filmes de segurança, registros de execução, filmagens secretas de torturas, autópsias, mortes registradas por cinegrafistas amadores e por ai vai. Não é de se estranhar que foi proibido em mais de quarenta países.


Faces da Morte

O documentário ou "Chocumentary" termo utilizado para determinar esse tipo de produção, onde acidentes reais são mostrados com o único intuito de chocar o espectador. eram um apanhado de mortes, todas narradas em off.
O primeiro filme gerou uma franquia de sucesso, virando uma espécie de cult: quem via falava aos amigos que podiam quebrar um tabu e ver alguém morrendo. 
Com as vendagens em alta, a propaganda gratuita e o baixo custo de produção não é de se espantar que tenham feito quatro filmes!
De cabeça lembro de algumas mortes icônicas: um turista teve  brilhante ideia de alimentar um urso e foi morto pelo bichinho; um ladrão invade um armazém e acaba sendo morto por dois pastores alemães, um preso político é torturado e morto em algum país da América Latina e um mergulhador que tentou explorar uma caverna submersa morreu sufocado (até hoje tenho medo de cavernas).
Lembro de um amigo denominado esse filmes de "malditos", o mesmo quando soube que eu tinha um VHS pediu emprestado e e devolveu dizendo que adorou. Ecchi homo

O primeiro filme custou por volta de 450 mil dólares e faturou mais de 100 milhões de dólares, só nos cinemas, em VHS faturou ainda mais. Para entender o sucesso é preciso ter em mente que os filmes vinham de uma época onde não existia internet - hoje em dia existem sites e blogs dedicados a mostrar pessoas mortas.
Outro fator que ajudou no sucesso é que naquela época não haviam abutres apresentando programas pseudojornalisticos, em outras palavras Datena e Marcelo Resende não viviam de explorar a morte alheia.


Era tudo uma farsa?

Muitas pessoas ficaram chocadas ao descobrirem que o John Alan Schwartz (o diretor) filmou mais de 60% das mortes usando atores e efeitos especiais, assistindo com cuidado as cenas fica claro que alguns ângulos só são possíveis em uma filmagem em estúdio.
Anos depois um dos técnicos em efeitos especiais que trabalhou no primeiro filme denunciou a produção, o diretor John Alan Schwartz assinou o filme como Conan Le Cilaire e assinou o roteiro como Alan Black, tudo para manter a farsa.
Acessando o IMDB podemos ver a ficha técnica do filme, mas por que da farsa? 


Já havia um precursor italiano de Faces da Morte chamado Mondo Cane, rodado na década de 1970, esse sim mostrando mortes reais. Porém as imagens são de péssima qualidade e a própria morte em si não é tão atraente quanto a romantizada.
Se Schwartz escreveu e filmou 60% das mortes e as outras 40%? Elas resumem-se a mortes de animais no abate de aves, suínos e gado para o consumo humano e sobras de documentários indígenas, onde os líderes religiosos sacrificam animais aos deuses.
Duas cenas reais que chocam são o massacre de focas no ártico e uma luta de cachorros, nessa época era comum diretores mequetrefes fazerem filmes chocantes e os encher de mortes de animais, o exemplo mais comum são as produções italianas de canibalismo: Canibal Holocausto e Canibal Ferox (assista se tiver estômago) essa era uma forma eficiente e barata de chocar.
Outras mortes reais apresentadas na série são imagens de arquivo sobre a Guerra no Vietnam e campos de concentração nazistas. Schwartz usou inclusive imagens de crianças desnutridas na África, com a narração: "A Subnutrição provoca uma das mortes mais dolorosas" (morra de inveja Rede Record).
Oportunista, desprezível e insignificante Faces da Morte ficou como registro de uma época mais ingênua, onde a violência era mais distante, hoje em dia não possui o mesmo efeito e os mais jovens podem acabar achando graça da precariedade da fita, mas entrou para a história do horror e faz parte da infância e juventude de muita gente.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Jill Terashita

Chegou a vez de falar dessa japa que gritou muito nos anos 1980, se você assistiu A Noite dos Demônios ou Acampamento Sinistro 3 Certamente se lembra dela, em uma década dominada por loiras essa asiática conseguiu um relativo sucesso.
Como muitas scream Queen´s dessa época ela acabou sumindo, não sem antes deixar sua marca.



Biografia

A primeira coisa que você precisa saber é que a moça não e japonesa, mas sim canadense, atualmente com 53 anos ela desfruta sua aposentadoria de um modo um tanto inusitado, atuando como extra. Sua ultima aparição foi em Colateral de 2004.
Nascida em Toronto, parte inglesa do Canadá, a 17 de Fevereiro de 1964 a moça desceu a fronteira em busca de fama e sucesso, conseguiu um pouco dos dois. 
Jill estreou como atriz aos 21 anos, estampou revistas, foi capa da Playboy especial de lingeries e estampou os saudosos calendários de borracharia - para quem não sabe na década de 1980 ainda não tinha internet, então as pessoas buscavam erotismo de outras formas, uma das mais comuns eram calendários estampados por lindas modelos.


Carreira

Jill Tarashita tem poucos filmes em sua carreira, também existe pouca coisa sobre ela, pesquisando descobri o motivo seus principais trabalhos foram
como modelo, o cinema sempre foi um bico.
Procurando no lugar certo descobri como ela foi uma modelo popular, seus trabalhos iam muito além do erótico. Cá entre nós ninguém resiste a uma japinha, vou deixar o link de algumas fotos aqui aqui.
Mas você não entrou aqui para saber da carreira de modelo da Jill, sua estreia no cinema aconteceu em 1985 no filme A Grande Aposta, uma comédia juvenil onde mulher ajuda um adolescente a seduzir uma garota de sua classe. Aqui ela interpreta Koko, uma personagem secundária.
A moça voltaria ao cinema apenas em 1987 Dirty Laundry, sobre um casal que fica de posse de uma mala contendo um milhão de dólares e precisam sobreviver a fúria dos verdadeiros donos.
No mesmo ela atuou no filme de ação Terminal Entry, onde os EUA são atacados por terroristas, nada que mereça grande interesse.
Seu primeiro grande papel veio no cult A Noite dos Demônios, Tareshita dá vida a Frannie - no filme Angela organiza uma festa de Halloween em uma casa abandonada, durante os preparativos ela e seus amigos despertam alguns demônios.
Finalmente a moça faz um papel importante e rouba a cena do filme interpretado por ninguém menos que Linnea Quigley, não é para qualquer um! Em uma das cenas a moça faz sexo dentro de um caixão, esse pessoal dos anos 1980 chutava o balde.
Depois vieram pequenos papeis no seriado Santa Barbara (1988), Rajada de Fogo (1992) e Tequila & Bonetti (2000) como disse seu forte sempre foi o mercado fotográfico.
Em 1989 ela voltou ao gênero que lhe trouxe notoriedade com Acampamento Sinistro 3 a terceira parte da cinessérie inspirada em Sexta-Feira 13, narrando os assassinatos cometidos por Angela.
O enredo é simples em um acampamento de férias rapazes e garotas passam o verão, alguns deles acham que as atividades lúdicas do local não são suficientes e partem para brincadeiras eróticas. Eis que Angela (detentora de um segredo trazido no primeiro filme, que eu não vou contar) para eliminar os safadinhos. 
Jill é uma dessas garotas saidinhas, que encontra a morte. 
Depois de Acampamento Sinistro 3 ela apareceu em apenas mais três filmes, sempre em pequenas pontas Por Que Eu? (1990), Colateral (2004) e uma participação especial em Acampamento Sinistro 4 de 2012.
Seus dois filmes de terror são recomendados tanto para fãs do terror oitentista com para fãs em geral, afinal bons filmes não tem idade.



quinta-feira, 18 de maio de 2017

Shimoneta

No futuro todo e qualquer conteúdo sexual foi proibido, as pessoas são obrigadas a usarem duas pulseiras e um colar que monitoram o ritmo cardíaco, movimento do corpo e linguagem a fim do governo manter a moral pública. A pornografia foi banida junto a qualquer tipo de material erótico, o resultado? A nova geração japonesa é composta por virgens abobados.
Nesse pesadelo moral (mais ou menos no que os politicamente corretos querem transformar o Brasil) surge a Nuvem Azul, uma terrorista dedicada a difundir piadas de duplo sentido e o desejo sexual nas pessoas, o que poucos sabem é que Neve Azul é apenas uma garota comum que enxerga como tal censura é antinatural e nociva.
Shimoneta é um Ecchi com história - para quem não sabe ecchis são animes voltados ao erotismo, em
Nuvem Azul
geral os episódios são desculpas para as personagens voluptuosas tirarem a roupa, eventualmente surge um ecchi com enredo, que tenta passar algo mais além de peitos (não estou reclamando) é o caso de Shimoneta, onde o explícito quase nunca aparece, ficando na sugestão enquanto realiza críticas mordazes e necessárias, tudo regado a muito humor. 

Se fizeram um anime sobre o tema da censura é porque esse não é um problema exclusivo do Brasil, se aqui temos os politicamente corretos querendo nos dizer o que podemos pensar e podemos querer o Japão passa por algo parecido, uma recente onda de moralismo e conteúdo familiar assola o país do sol nascente.


Personagens e Enredo

Nosso protagonista é Tanukichi Okuma, filho de um militante favorável a piadas sujas, seu pai foi preso pelo governo e ele hostilizado desde a pré-escola. Sim as crianças japonesas faziam bullying com ele por seu pai ter a boca suja.
Nem tudo na vida de Tanukichi era um pesadelo, uma garota o ajudava, Anna Nishikinomiya, filha da política idealizadora do código da moralidade. Nosso protagonista cresce apaixonado por sua salvadora e
Anna Nishikinomiya
uma vez no colegial se esforça para entrar no mesmo colégio que ela.

Anna é uma jovem política, por assim dizer, presidente do conselho estudantil ela leva a frente as ideias de sua mãe, dona de uma moral inigualável e uma bondade sem igual ela também é pura e inocente, sendo incapaz de reconhecer qualquer brincadeira ou imagem de duplo sentido.
A ultima, porém não menos importante personagem
Ayame Koujou
é Ayame Koujou, vice presidente do conselho estudantil, rígida e severaou é o que parece, essa casca dura existe para esconder sua identidade secreta ela é a Neve Azul (isso não é um spoiler, é dito nos primeiros minutos do anime). Seu pai lutou contra as leis da moralidade pública e passou seus conhecimentos a filha.

Koujou dedica sua vida a "poluir a mente dos jovens japoneses" é ela quem explica os malefícios da lei, onde pessoas não sabem diferenciar luxúria de amor, nem percebem quando gostam de alguém ou ficam excitados, por isso ela fundou a SOX (um trocadalho do carilho) grupo terrorista dedicado a lutarcontra o moralismo.


SOX e Recalque

Koujou tem métodos pouco ortodoxos para começar ela corre por ai pelada enrolada em uma toalha com uma calcinha na cabeça distribuindo fotos de mulheres de biquini!
Seus planos envolvem a distribuição de pornografia, brinquedos sexuais, simulação de sexo e qualquer coisa que possa estimular a nova geração a ter
pensamentos obscenos, mas por que?
Se estamos em um mundo onde qualquer conteúdo sexual é proibido o que as pessoas fazem quando elas se apaixonam? Como lidar com alguma coisa que você não sabe o que é e não pode falar a respeito? Nascem os stalkers.
Anna, por ser linda e popular começa a sofrer com perseguições, alguém está enviando fotografias dela para a própria Anna, o recado é "estou seguindo você", esse tipo de situação revela-se comum e é uma das críticas do anime.
O Japão passa por uma crisa, os jovens não se relacionam, a maioria permanece virgem por não ter coragem de abordar o sexo oposto. A política japonesa tenta resolver a situação reprimindo os conteúdos sexuais. O Japão possui muitos casos de stalkers e estupros justamente pelo rigor e severidade de sua moral, é o que Shimoneta critica.
(A partir daqui terei que colocar alguns spoilers, porém serei o mais cuidadoso possível para não estragar a diversão de todos, se você ainda não viu Shimoneta pule para "Vale a Pena Ver Shimoneta" e depois de assistir ao anime volte aqui e leia a análise da série).
Em determinado momento Anna fica fascinada por
Tanukichi (não vou dizer porque) e entra em desespero, a moça não sabe o que sente (tesão) ela fica quente e molhada quando pensa nele e começa a fazer algumas coisas questionáveis:
Anna coloca sua lubrificação vaginal na comida de Tanukichi, invade sua casa a noite, ameaça matar quem se aproximas dele, entra em desespero só em ouvir fala em erotismo, passa a roubar e cheirar as cuecas do rapaz e como resultado torna-se cada vez mais severa.
Freud já dizia por trás de todo moralista existe um pervertido, respondam rápido qual a melhor forma de pensar em sexo vinte e quatro horas por dia? Vendo sexo em todos os lugares. Pois é Anna é uma recalcada.
O recalque é o ato de reprimir algum tipo de desejo de forma inconsciente, esse desejo não some, fica impedido de se manifestar as claras saindo em pequenas parcelas. Todos nós somos recalcados, o que muda é o grau. 
No caso de Anna o efeito do recalque é sua violência - ela ameaça matar seu amado sempre que o vê perto de outra garota.
Koujou também tem seu recalque, a terrorista dedicada a espalhar a pornografia pelo mundo nunca presenciou um corpo masculino nu e quando vê Tanukichi fazer algo pervertido ela fica vermelha ou irritada.

O recalque de Tanukichi é mais clássico ele é apaixonado por Anna, que praticamente se joga encima dela, então por que o rapaz não leva a perva para um canto e dá uma surra de pinto nela? Anna acalmaria e ele seria mais feliz. Porque Tanukichi não quer macular sua amada virginal, como se o rapaz precisasse da pureza de Anna para "limpar" seu lado pervertido, sem se dar conta ele começa a se apaixonar por Koujou que expressa livremente o que sente. Nesse momento ele começa a trocar uma ideia por uma pessoa.


Vale a pena ver Shimoneta?

Se depois de tudo isso você ainda está em dúvida eu vou dizer claramente vale a pena assistir Shimoneta! Um ecci extremamente divertido graças a suas situações inusitadas e claro manifesto.
O anime foge de alguns clichês e defende o erotismo sem ser explícito, dá para contar nos dedos a quantidade de cenas explicitas apresentadas, deixando tudo para a imaginação, o que é muito mais picante. As cenas da Anna descontrolada são melhores do que todos os ecchis da ultima temporada, sem ela sequer tirar a roupa.
Existem outras personagens que ajudam na trama como Otome, uma pintora prodígio apaixonada por Anna que descobre os prazeres do erotismo e aprende a desenhar com a boca - lembram das pulseiras? Se ela desenhar cenas impróprias o governo fica sabendo; outro destaque é Hyouka Fuwa uma cientista maluca que percebe que o sexo está relacionado a reprodução, mas não consegue juntar as pontas, para isso ela estuda insetos.
A maioria das piadas envolve Koujou e sua boca suja, seu pai desenvolveu um aparelho capaz de bloquear o sinal de sua gargantilha por cinco minutos, tempo que a moça usa para fazer trocadalhos do carilho, gritar palavras proibidas e simular sexo com tudo que encontra desde tampas de caneta até bolinhos.
Mas quem rouba a cena é a Anna descontrolada a moça sobe pelas paredes fazendo caras e bocas.
Shimoneta é um anime de 12 episódios, baseado em um mangá de 4 volumes e um ligth novel de 11 volumes e VIVA A PUTARIA!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Nostalgia: Evangelion na Locomotion

É uma pena que muitos não tenham conhecido a Locomotion, um canal de assinatura dedicado a desenhos adultos, eram 24 horas de produções americanas e europeias com o melhor da animação proibida para menores, algumas delas fariam South Park parecer um domingo na igreja.
Lá pelo final da década de 1990 e começo dos anos 2000 a Locomotion surpreendeu a todos ao anunciar Neon Genesis Evangelion, um anime popular em pequenos grupos - nessa época a internet era discada, não haviam animes legendados online, você precisava encomendar fitas VHS (muitos sem legenda ou legendados em inglês) que chegavam na sua casa pelos fansubers ou importar original do Japão, o produto vinha em navios e demorava alguns meses para chegar na sua casa.
Pois bem Evangelion foi muito importante para o bum dos animes no Brasil, abriu portas para animações mais adultas devido a sua temática religiosa e psicanalítica ele dificilmente seria exibido no Cartoon Network. 
O objetivo desse post é relembrar a primeira vez que o anime chegou foi em uma comercial lendário com um canto gregoriano de fundo trazendo o seguinte texto:
"No ano de 2015, os filhos de Deus lutarão contra o próprio pai. A ira do criador semeara os Campos do Terror Absoluto através de seu Exército de Anjos. E se não forem derrotados, não haverá mais futuro: não restará mais tempo. Para conquistar o poder divino o ego humano  deverá controlar o poder da tecnologia. Só o instinto Puro dos escolhidos terá alma para lutar".
Alternando com imagens do anime, o tom da música ia crescendo até a narrativa que virou marca: "O homem é a obra de deus ou este um produto do homem?". E assim fomos apresentados ao melhor anime de todos os tempos.
Evangelion fez tanto sucesso que o anime, incialmente semanal, foi exibido diariamente, em formato três vezes por semana e com algumas maratonas, sim os 26 episódios chegaram a ser exibidos em maratonas mensais nos finais de semana.
O canal fez mais alguns comerciais, todos misteriosos e carregados nas tintas da loucura, no youtube achei dois o da Asuka: "O conflito, a fragilidade e o valor autodestrutivo de sua beleza: Asuka Langley, piloto EVA 02" e claro o da Rei: "O culto do renascimento, o colo materno, o amor do filho: Rei Ayanami, piloto EVA 00".
Relembre o comercia abaixo:

video

quinta-feira, 11 de maio de 2017

TOP 10 Loiras dos Animes

Nada como uma loira! Praticamente todo o anime tem uma, iniciando uma nova série de top 10 baseado em animes vamos com meu TOP 10 de loiras como sempre em ordem alfabética. A continuidade da série vai depender da rceptividade:


Astraea (Sora no Otoshimono) Loira, gostosa e burra, Astraea é tudo aquilo que pedimos a Deus! E foi ele mesmo quem mandou ou quase, no universo de Sora no Otoshimono o céu é povoado por uma elite de anjos que detestam os humanos e brincam com eles, Astrea é uma angeloid guerreira da classe das mais fortes, também é das mais burras, inicialmente sua missão era matar Tomoki (o protagonista da série), mas como costuma acontecer em animes do tipo Harém (um homem rodeado por garotas que o amam) ela se apaixona por ele.


Chitoge Kirisaki (Nisekoi) Chitoge é a garota perfeita tímida, meiga e educada, isso é para quem a vê de longe, sua verdadeira personalidade é agressiva e escandalosa, a filha de mafiosos sofre com a profissão dos pais enquanto o progenitor é o líder da máfia americana sua mão é uma alta executiva que nunca tem tempo para ela. Mudando sempre de escola e país Chitoge tem dificuldade em se enturmar, para piorar tem que sustentar um namoro falso para evitar uma guerra entre gangues, mesmo assim encontra tempo para se divertir e nos revela gentileza por detrás daquela casca dura.


Eri Sawachika (School Rumble) Típica garota mimada que tem tudo o que quer, mas como School Rumble é muitas coisas menos típico Eri Sawachika vai revelando um lado inocente e apaixonada. A garota que escolhe parceiros pelo pedigree apaixona-se por um delinquente que não consegue enxergar a mulher que existe nela, ao longo da série Eri vai amadurecendo e (quase) aprende a perder. É um ótimo partido além de linda e dedicada ela pode sustenta-lo meu amigo.


Hana Midorikawa (Prison School) Provavelmente a mais inocente dessa lista, você pode preferir o termo recalcada, membro do conselho secreto dedicado a coibir atos vulgares dos garotos Hana sofre com a perversão dos prisioneiros, o shorts por debaixo da saia revela seu grau de pudor e vergonha, os dois destroçados quando ela urina na frente do protagonista. Vou deixar de lado sua fixação pela chuva dourada, Hana é inocente e não sabe lidar com sua libido, o que a tornou um alvo fácil. assista ao anime para descobrir.


Kanzaki Urumi (GTO) Conhecida pela alcunha de "terrorista" Kanzaki foi desenhada para que seu rosto lembre uma cobra, as semelhanças não param por ai, considerada um gênio a garota inferniza seu professor Onizuka de várias formas: simulando estupro, explodindo parte da escola, planejando o sequestro de uma colega e a expondo sexualmente na internet, a lista é longa e sua suposta maldade esconde um coração ferido. Quando odeia alguém Kanzaki pode destruí-lo, mas quando ama entrega-se de corpo e alma, recomendo cuidado ao aproximar-se, não queira dar motivos para vingança. Já fiz um post sobre ela, clique aqui.


Kitsune (Love Hina) Lá pelos começo dos anos 2000 Love Hina foi um fenômeno sendo uma das obras mais populares no Brasil sem ter anime ou mangá lançados oficialmente, chegando ao ponto de seu autor Ken Akamatsu mencionar nosso país em seus agradecimentos. Vamos ao que interessa Kitsune foi uma das primeiras safadinhas dos mangás, logo nos primórdios do gênero Harém ela passa seus dias bebendo, dormindo e planejando como enriquecer rápido, o que envolve um marido rico. De longe é a mais sensual das moradoras da pensão Hinata. Kitsune tem o nome inspirado na raposa e é exatamente isso que ela é esperta e levemente traiçoeira, a moça não exita em seduzir qualquer homem para conseguir o que quer.


Minako Aino (Sailor Moon) Quem não se lembra das Sailors Guerreiras, cinco estudantes vestidas de marinheiro enfrentando monstros enquanto procuram por um amor para chamar de seu. Minako foi a precursora de tudo com seu mangá Sailor V (que inspiraria Sailor Moon, por isso não reclame dela estar aqui e não a Serena) considerada a mais bonita das cinco é a segundo em comado, mas como nem tudo é perfeito o miolinho dela não funciona muito bem. A loirinha vive trocando ditados, não entendendo piadas e é um desastre na cozinha e é uma macaca de auditório, quase uma stalker! O que não a impede de ser uma exímia jogadora de Vôlei.


Mugi (K-On) Chegou a hora da fofura, K-On não seria o mesmo sem a Mugi, menina rica, porém simples (nunca a vemos ostentando) ela encontra nas garotas da banda mais do que amigas a oportunidade de viver tudo que sua vida de riqueza a impediu de ter, assim coisas simples como pechinchar ou receber um peteleco por ter feito alguma coisa errada são grandes descobertas. É a Mugi quem leva o chá e os bolos para as garotas tomarem, o que constantemente as impede de ensaiar, graças a esse hábito impulsionado pela garota a banda do anime foi batizada de "Hora do Chá Depois da Escola".


Sonsaku Hakufu (Ikkitousen) Mais uma loira burra, depois vão dizer que os brasileiros é que são maldosos, Hakufu consegue ser mais ingênua do que criança criada pelos avós em apartamento. Logo no primeiro episódio um cara apalpa seus enormes seios e Hakufu o confunde com um vendedor de lingeries! Ao menos a garota é generosa ela vive desfilando de calcinha e tendo a roupa rasgada durante as várias lutas. Uma coisa que a anima é lutar e pode ser com qualquer um. A melhor descrição para Sonsaku seria: "gostosinha avoada que adora correr semi-nua arrumando confusão" por que será que Ikkitousen teve quatro temporadas?


Winry Rockbell (Fullmetal Alchemist) Finalmente uma garota independente, diferente de outros Shonens Fullmetal Alchemist tem o mérito de desenvolver bem suas personagens femininas, por isso Winry conquistou homens e mulheres. Capaz de criar próteses mecânicas e ajudar uma mulher a dar a luz Winry segue sua própria jornada sem ficar presa aos irmãos Elric. Na mesma medida em que é forte Winry é delicada e frágil. Inteligente e capaz ela é doce e ostenta feridas tão ou mais profunda que os protagonistas sem nunca desabar e claro ela é muito bonita.

"Os Deuses Mortos" Oito Anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...